terça-feira, 30 de outubro de 2012

Dar e receber



Alguém me contou a história de um americano que precisou trabalhar aos treze anos para ajudar no sustento da casa.
Esse juntou um pequeno valor em dinheiro e comprou sua primeira enciclopédia de biografia americana.
Em seu tempo livre, este garoto lia sobre todos os grandes homens e mulheres de destaque daquele país, sabia tudo sobre eles, suas fantasias e seus maiores interesses.
Quando já não havia mais o que ler: começou a mandar cartas para essas pessoas. Primeiro ele as elogiava depois relatava sobre o interesse em saber mais sobre elas,
“sempre exaltava seus maiores dons”, ele nunca deixava passar em branco uma boa ação, uma homenagem recebida por aquele indivíduo em questão. O que as demais pessoas julgavam fúteis, ele sabia apreciar e por algum motivo desde pequeno ele sabia como agradar às outras pessoas.
Quando recebia algumas cartas, ele as lia e retornava com outra carta agradecendo pelo tempo gasto por aquele indivíduo e demonstrava um imenso empenho que tivera para conhecer a fundo suas histórias.
Certa vez, ele mandou uma carta para um general, perguntou sobre uma batalha em especial. Claro era uma batalha que o general tinha um enorme prazer em falar sobre ela; isso fez com que este general lhe convidasse para um almoço em sua casa, passou a noite toda falando sobre as guerras que havia participado.
Em questão de pouco tempo, aquele menino, um pouco mais velho, já tinha contato com as pessoas mais importantes dos Estados Unidos daquela época.
Depois de adulto, sempre que tinha oportunidade de viajar, constantemente ficava nas casas dessas pessoas como convidado.
Estes investiram naquele menino, sabiam da sua habilidade em ouvir e se importar com os interesses alheios.
Ele se tornou um dos mais importantes editores de revistas naquela época, simplesmente por dois motivos: ele sabia ouvir e se importava sinceramente com as histórias das pessoas.
Quando nos importamos com as pessoas elas sempre irão nos retribuir da mesma maneira.


PH SOUZA

A sabedoria superando a ciência



Uma grande empresa que fabrica pasta de dente sabonetes e outros no interior de São Paulo, se viu há alguns anos em uma situação desconfortável.
Há anos atrás se comprava algo, por exemplo, uma caixa pasta de dente e esta estava vazia era só devolver, por ser uma empresa de porte grande e por fabricar grandes quantidades, então era normal se uma ou outra caixa viesse vazia; bom, isso não era problema até certo tempo.
Hoje temos tantos órgãos que “protege” o consumidor que essa falha técnica e normal poderia trazer bastante dor de cabeça para a direção desta empresa e aí, o que fazer?
Contrataram dois engenheiros que, com três meses de pesquisa e um investimento de aproximadamente oito milhões, chegaram à conclusão de que a melhor maneira de resolver o problema seria um programa de computador ligado direto a uma esteira. Isso funcionava da seguinte forma: após os tubos de pastas serem colocados na caixa por uma máquina e, ao passar em um determinado pedaço desta esteira, ela apontava qual caixa estava com um peso menor e, então, automaticamente o programa parava a esteira e um braço mecânico retirava e caixa de menor peso do meio das demais.
Depois de três meses de teste e com muito sucesso, os diretores da empresa decidiram ver como estava a então super máquina que lhes permitiu resolver o problema. Ao checar os relatórios mensais descobriram que esta só havia funcionado no primeiro mês; ao consultar o que havia acontecido, os funcionários relataram que ela parava o tempo todo atrasando a produtividade. Então implantaram uma solução que eles mesmos julgavam eficiente: juntaram uma vaquinha, compraram um ventilador e colocaram na esteira antiga. Quando passavam as caixas leves o vento as jogava para fora, sobrando assim só as caixas com conteúdo dentro.
Muitas vezes não se trata de profissionalismo de anos de estudos ou grande competência; às vezes basta apenas bom senso e criatividade.


PH SOUZA
segunda-feira, 29 de outubro de 2012

Eu, eu e eu



Essa é a mentalidade das pessoas egoístas no mundo mesquinho e desprezível no qual vivemos.
É sempre assim, cada um está preocupado consigo mesmo, raramente se encontra por aí pessoas que ao menos demonstram preocupações com interesses alheios. Na grande maioria do tempo todos ou quase todos só damos crédito as nossas próprias preocupações.
Por onde passamos e para onde vamos é só isso que percebemos nas pessoas: egoísmo, individualismo.
Foi feita uma pesquisa em uma empresa de telefonia nos Estados Unidos para saber qual seria a palavra mais citada ou pronunciada entre os usuários e clientes daquela empresa e não por coincidência essa palavra jamais poderia ser outra que não fosse “eu”, eu isso, eu aquilo, eu aquilo outro.
Acho que isso demonstra, na prática, minha ideia sobre pessoas egoístas; penso que aí está uma das grandes razões por haver tanto desamor na face da terra. Não sei e nem tenho uma base de percentagem da população mundial que ainda consegue pensar de verdade nos interesses do próximo.
Mas posso afirmar com clareza e certeza que só conquistaremos o carinho e respeito das pessoas quando damos carinho e respeito, quando mostramos o quanto somos e podemos ser interessados em seus interesses. Alguém só será capaz de ir adiante  em tudo que planeja quando passar a se preocupar com as outras pessoas, mesmo até porque essa é a única forma de conquistar voluntariamente o que se quer e, assim se cumpre um velho e verdadeiro ditado: “quem de graça der de graça receberá"!


PH SOUZA
sábado, 27 de outubro de 2012

Exibido x cauteloso


Ele sempre está em destaque, é popular, está constantemente sendo visto por toda parte,
não perde uma chance de aparecer no meio da multidão mas, na falta de tanta gente, um pequeno grupo já lhe é suficiente; o que ele não pode é deixar de ser visto.
Ser destaque é seu objetivo primordial, chamar a atenção isso é o que ele faz de melhor, atrair a atenção, ter todos os olhares voltados para si, ser o foco das atenções, onde quer que esteja.
Na grande maioria das vezes cria histórias, contam algumas existentes ou, se necessário, fala mentiras, faz tudo para estar no topo, só falta colocar uma melancia na cabeça.
Certo dia vi um motociclista com o capacete virado para trás como se fosse um boné e, nessa história tem muitos querendo ser estrelas, ser notado.
Assim fazem os exibicionistas: sempre em destaque o tempo todo estão a se mostrar, num grupo de amigos só ele quer falar, em uma reunião ele quer o tempo todo interromper e dar seu “excelente” palpite, não tem limites. Isso é o que alguns seres humanos fazem para se exaltarem.
Isso é um modo de pensar e agir de pessoas pobres! Claro, me refiro à cultura, à inteligência; são pessoas que dentro de si se menosprezam que geralmente, procuram suprir suas carências individuais tentando ser populares
Penso que o ideal é viver de uma maneira cautelosa de forma que sua presença nem sempre seja notada, mas que sua ausência seja sentida por todos.

PH SOUZA
sexta-feira, 26 de outubro de 2012

Dois conselhos uma opinião


Dizem sempre que se conselho fosse bom, era pago; é meia verdade, sempre haverá dois tipos de conselho: um, são de pessoas fingidas, hipócritas e falsas que não acreditam que funciona realmente, fazem isso para passar uma falsa imagem de si mesma, tentam convencer os outros de que são pessoas boas, de caráter, de boa índole mas, na verdade, são apenas quaisquer que tentam se gloriar aproveitando um momento de dificuldade de terceiro, não tem interesse em ajudar apenas e se promover, em outras palavras vender uma imagem de si que não é verdadeira.
Já o segundo tipo de pessoas, são opostas às verdadeiras, não se preocupam em se promover, querem apenas ajudar, seus conselhos são verdadeiros e simples, alguns são generosos e se importam com os outros; claro, se trata da grande minoria se é que posso dizer assim.
Mas, além dos dois tipos, tem o mais importante: você mesmo sempre terá sua própria opinião, ninguém sabe tão bem como você o que tem passado. Então ninguém sabe tão bem como você, o que deve fazer para resolver a pendência que traz no momento. É certo que alguém que conheça pode ter passado pelo mesmo mas, no mundo de realidade, as chances são mínimas, encontra quem já passou e que esteja disposto a ajudar.
É muito fácil detectar quem é quem nesses dois grupos. Conselho que vem com simplicidade, honestidade, sem que o aconselhador se vanglorie e se exalte por ter passado pela mesma dificuldade com êxito ou por saber como resolver, na maioria são os verdadeiros; como conselhos são grátis e todo mundo oferece o tempo todo, essas pessoas que querem ajudar sempre procuram ser o mais discreto possível. Já as que querem nós usar para se promover, sempre procuram um ambiente que tenha muita gente, um lugar movimentado para dizer o quanto ajudou as outras pessoas no passado e etc. Querem somente criar seu marketing pessoal.
Então a dica é: ouça todos, pese com muita cautela o conselho que é melhor para você no momento, não se esquecendo de prestar atenção nestes detalhes, de “quem é quem” independente do grau da situação, presa e desespero. Isso só o levará a se prejudicar mais e mais, e o mais importante neste momento.
Você é seu melhor conselheiro.

PH SOUZA
quinta-feira, 25 de outubro de 2012

Os fortes sobrevivem os fracos ficam pelo caminho


Eu sou pobre e também sou muito limitado. Pessoas como eu não têm muitas oportunidades e ainda dizem que nada é impossível.
Não sabem a luta que tenho todos os dias, ninguém está dentro de mim para saber o que eu passo para sentir na pele o que eu sinto; só eu sei o quanto é difícil suportar tudo isso. E, analisando isso, eu observo o quanto sou forte por não ter desistido de tudo, mas ainda assim não sei quanto tempo mais vou aguentar tudo; é demais para mim, esse fardo está muito pesado.
Eu não imagino o que fazer para, pelo menos, tentar mudar isso. Estou de mãos e pés atados, estou sem saída, sem reação, espero que algo aconteça e que minha sorte sobre “vida” mude pois, caso contrário, não sei o que será de mim.
Esse tipo de pensamento é quase que unânime na sociedade na qual vivemos; pessoas sentido pena de si mesmas quando, na verdade, isso não as levará a lugar algum, ninguém tem pena do “pobre por ser pobre”, se ele apenas pensar em contar com a caridade alheia, aí sim, eu tenho pena dele.
No mundo em que vivemos só os mais fortes sobrevivem, os fracos e intermediários ficarão pelo meio do caminho; já os fortes seguirão em frente, dominarão e terão o controle de tudo.
O primeiro passo para mudar seus caminhos é pensar que você pode, não exatamente disse eu posso, um exemplo ouço constantemente pessoas dizendo “eu posso tudo naquele que me fortalece” mais até onde isso ajuda alguém?
Há uma diferença alarmante entre dizer acreditar em algo e acredita de verdade naquilo. Muitos dizem, poucos acreditam, prova é a forma de pensar, vendem uma imagem falsa, passam adiante o que não é verdade e sendo assim, não importa em quem dizem acreditar. Enquanto não o fizer de verdade, enquanto não acreditar e pensar como pensam os fortes, jamais, nunca sairá do lugar, nunca estarão do lado dos fortes.


PH SOUZA
quarta-feira, 24 de outubro de 2012

Valéria

Esse é o nome de uma professora que jamais me esquecerei; não tenho contato com ela, não a vejo há algum tempo.
Eu odiava a quarta série, ano em que estudei com ela, ninguém nunca pegou no meu pé como aquela pessoa, apesar de eu ser apenas uma criança naquela época ela já me tirava do sério.
Eu sempre fui muito bom em matemática mas, em compensação, era um verdadeiro desastre em português e foi assim até conhecer Valéria, ela me deixava sem recreio quase que a semana inteira, me deixava depois da aula de castigo, enquanto ela estava na escola lá estava eu, aprendendo a matéria que eu até então tinha uma enorme dificuldade.
Lembro-me de um período que fiquei quase dois meses sem recreio, “intervalo”.
E para piorar minha situação com Valéria, uma irmã dela era minha vizinha. Podem imaginar que, todo final de semana, que ela visitava a irmã, não deixava de passar em minha casa, corrigia meus deveres de casa e, claro, não deixava de passar mas, sempre fui responsável e nunca gostei de deixar nada para depois. Sendo assim, era alvo fácil, ela sabia que já tinha feito, o que havia passado na sala e, por isso, poderia passar mais.
Essa é um pouco da minha história com Valéria; e, apesar de não gostar nem um pouco dela naquela época, hoje percebo que ela ajudou a me preparar para vida.
Nada que é fácil tem valor e se você acha seu professor chato, enjoado e até rude, é porque muitas vezes nem imagina as cobranças que terá de seus líderes e de pessoas que contam com você.

PH SOUZA
terça-feira, 23 de outubro de 2012

Aprendendo com as decepções


Todos somos perfeitos, sem falhas sem defeitos, somos legais, somos engraçados, divertidos, tudo é perfeito até conviver uns com os outros e passar a perceber falhas e erros. Acreditamos no começo de uma amizade que nunca seremos decepcionados por fulano(a), somos iguais, temos ideias parecidas, objetivos idênticos etc.
Todos têm decepções, todos os dias têm motivo para se entristecer, se chatear.
Isso faz parte da vida; não vivemos em um mundo perfeito e, menos ainda, não somos perfeitos. Então não podemos esperar que as pessoas que estão conosco dia após dia sejam perfeitas.
É certo que teremos desapontamento a todo instante e faremos isso também com as pessoas, uns por querer, outros sem intenção de machucar, chatear ou ferir mas, com intenção ou sem ela todos decepcionaremos uns aos outros.
Não gosto de pensar assim mas isso é um fato que ninguém pode se esquivar, desde que não somos perfeitos teremos momentos ruins e passaremos isso adiante sempre de duas maneiras: uns procuram desabafar outros querem descontar em quem na maioria das vezes não tem nada a ver com suas frustrações.
Muitas vezes somos os culpados por passar situações chatas; confiamos muito facilmente, alguns têm a facilidade de confiar no caráter alheio mesmo sem conhecer o próximo como deveria se entregam em um relacionamento, em uma amizade e quando, enfim, vai conhecer a outra pessoa é que vê quem ela é, seus hábitos, manias costumes, acabam percebendo que não era o que de fato pensava ser.
E assim vamos vivendo e seguindo em frente, de queda em queda e de vitória em vitória,
Mas quem sempre andará de vitória em vitória são aqueles que não se frustrarão com as decepções, uns se curvam diante delas outros as usam como experiências negativas e, com o tempo, fazem com que estas se convertam em grandes aprendizados.


PH SOUZA
segunda-feira, 22 de outubro de 2012

Ganância!!!



A ganância sem controle leva qualquer um a cometer atrocidade. Tivemos vários casos, aqui no Brasil, nos últimos anos. Acho que nem preciso citar.
Sem contar o ciúme doentio que também é uma forma de demonstrar ganância.
Não tem limites, pessoas assim sempre estão dispostas a fazerem o que for necessário para alcançar seus objetivos que, na grande maioria das vezes, são objetivos doentios.
São pessoas que passam por cima das outros como se fossem objetos, traem, brigam, discutem e, infelizmente, até matam por cousa dessa verdadeira praga chamada ganância.
Em muitos casos se trata de dinheiro, bens, herança etc. mas, nem sempre é só por isso. Acompanhamos um caso muito triste que ocorreu em São Paulo há poucos anos atrás de uma jovem que ficou como refém e, para tristeza de muitos, não teve um final feliz. Tivemos vários outros casos tratando de relacionamento.
No meu ponto de vista, pessoas assim pensam que as outras são prioridades exclusivas delas.
Uns são assim por dinheiro, alguns por se acharem donos de outros e, para as pessoas de bem, só resta se guardar contra essa raça, sem escrúpulo.
Não tem muito que fazer quando se trata desse assunto, pessoas assim sempre deixam transparecer quem realmente são com alguns pequenos gestos mostram muitas vezes seus desvios de conduta moral e, o que se pode fazer é apenas se afastar dessa gente logo que se percebe esse desvio de caráter, ignorar completamente o sentimento a emoção e passar a agir pela razão.


PH SOUZA
sábado, 20 de outubro de 2012

Egoístas, rumo ao abismo



Egoísmo: sentimento ou maneira de ser dos indivíduos que só se preocupam com o interesse próprio, com o que lhes diz respeito.
Mas, essas pessoas que só se preocupam consigo, sempre estão olhando para os outros de uma maneira negativa.
Na hora de ajudar não estão por perto mais na hora de criticar, de jogar pedra, são as primeiras a aparecer.
Essas muitas pessoas estão sempre tropeçando em seu próprio egoísmo, gente pequena, mesquinha e desprezível.
São pessoas que enxergam uma formiga nos olhos dos outros mas não são capazes de ver um boi em seus próprios olhos. Esse tipo de pessoa vê o defeito de todo mundo; numa suposta oportunidade de fazer novas amizades e, conhecer novas pessoas, elas acabam perdendo a chance porque acreditam que essas novas amizades não são boas o suficiente para elas por terem erros e etc.
E, com o passar do tempo, isso se torna algo natural, olhar para os erros alheios é como chegar a um ambiente e desejar bom dia, boa tarde e boa noite que seria o correto.
Procurar defeitos e falhas já se tornou vício para esse tipo de gente, ridicularizar os outros é o que fazem de melhor.
E algo que chega a ser até engraçado é que muitas vezes desaprovam isso ou aquilo em todos que estão ao seu derredor, mas são coisas que elas mesmas fazem. O egoísmo é tão grande que parecem ser criaturas isentas de cometer erros e falhas ou qualquer coisa do gênero.
Cada um de nós deve olhar para si mesmo, sem dúvidas encontraremos grandes erros; algumas pessoas ficam paradas no tempo simplesmente porque o pouco que lhe resta para cuidar, de suas próprias vidas, acabam perdendo como coisas supérfluas como prestar atenção na vida alheia enquanto, na maioria das vezes, sua própria vida está indo rumo ao abismo.


PH SOUZA
sexta-feira, 19 de outubro de 2012

O alto preço da precipitação



Muitos falam sobre quem tem pressa, dizem que o apressado come cru.
Estava mais cedo navegando no youtube, vi um vídeo que me chamou muito a atenção e não só isso, aquele vídeo mexeu comigo.
Até onde eu consegui entender, trata-se de um lenhador que vive no campo sozinho com seu filho ainda bebê e, quando ele saía para trabalhar, sua criança ficava sendo vigiada por uma raposa que ele gostava muito e considerava sua amiga.
Sempre que ele passava em um determinado lugar, um homem dizia: lenhador eu já te disse, cuidado com aquela raposa ela é um animal selvagem e não se pode confiar; um dia ela vai ficar com fome e vai devorar seu filho. O lenhador, por sua vez, disse: ela é minha amiga e jamais faria isso.
Um dia aquelas palavras entraram na cabeça do lenhador, ele foi embora incomodado com isso pensando se realmente poderia confiar na raposa e, se ela ficasse faminta, teria coragem de devorar sua criança!
Foi o mais rápido possível para sua casa, a confiança na sua amiga raposa tinha se acabado, as palavras daquele homem haviam destruído uma confiança de muito tempo.
Ao chegar á sua casa, encontrou a raposa deitada no chão, toda cheia de sangue, o chão estava todo ensanguentado. Vendo aquela cena, ele pegou seu machado e cortou a cabeça de sua até então amiga raposa, foi correndo para o quarto ver o que ela tinha feito com o bebê. Ele estava no seu berço dormindo tranquilamente e no chão havia uma cobra morta. A raposa estava, provavelmente ferida, tinha acabado de matar a serpente para defender a criança.
Erros e acertos, tudo que fazemos agora não pode ser corrigido um segundo depois e, muitas vezes, pagamos um alto preço por sermos precipitados.

PH SOUZA
quinta-feira, 18 de outubro de 2012

Rir faz bem para o coração



Existem estudos comprovados que dizem: “rir faz bem para o coração” e não é só para o coração. Sorrir auxilia que se tenha uma boa noite de sono. Sorrir libera substâncias do cérebro, responsáveis pela sensação de felicidade, alegria e outros, sem falar que as pessoas que estão sempre bem-humoradas, têm uma qualidade de vida bem melhor que as pessoas que não são tão bem-humoradas. E nem se compara com as que estão sempre tristes e mal-humoradas.
Quando se fala em bom humor não quer dizer que se deve sorrir o tempo todo; há momento para tudo e claro que, há momento até de se chatear.
Mas estou dizendo que bom-humor não é só sorrir, tem muito a ver com uma outra forma de entender o bom-humor: é conseguir achar alegria aonde muito só se vê tristezas e coisas ruins.
Lembro-me que dois amigos chegam a uma festa bem no finalzinho. Estávamos todos quase indo embora, já tínhamos consumido tudo praticamente e só tinha refrigerante (Fanta). Um deles olhou e disse: ah só tem Fanta! O outro disse: oba! que bom, ainda tem refrigerante!
Certa vez precisei encontrar um conhecido bem cedo, me lembro que estava um dia muito bonito, o sol bem forte mais não muito quente, o verde reluzente nas árvores; era realmente um belo dia. Quando cheguei ao local marcado e disse bom-dia, ele respondeu não ter nada de bom porque o ódio acorda tão cedo!
Tudo se trata do modo como olhamos as coisas, no meio de uma situação boa ou ruim eu tenho o poder de decidir ficar triste, ou alegre, chorar ou sorrir.
Eu decido que atitude tomar, como me portar diante de tais condições. Está em meu espírito à força de ser bem-humorado ou apenas mais um ser triste, infeliz e mal-humorado.


PH SOUZA  
quarta-feira, 17 de outubro de 2012

Três tipos de pessoas



Olhando para as pessoas, uns para os outros, todos somos iguais, Aliás, nos parecemos iguais, embora, infelizmente, há diferentes grupos de pessoas no nosso meio. Essas pessoas, individualmente, se encaixam em cada grupo, dependendo sempre do seu ponto de vista, da sua entrega na realização de um projeto. A sua dedicação e outros fatores é que irão definir em que grupo cada um de nós se encontra.
Gosto de pensar que esses são exatamente três grupos de pessoas, três tipos de indivíduos.
Primeiro os que contam histórias vivem se baseando em coisas interessantes que viram e ouviram, coisas que ficaram sabendo, que tomaram conhecimento, sempre abrindo a boca e passando para a frente: fulano fez isso, beltrano falou aquilo e cicrano contou aquilo outro etc.
O segundo, os que só de ouvirem histórias se enchem de emoção, se alegram, ficam contagiados, afloram suas esperanças e inflamam suas emoções com belíssimos contos, histórias maravilhosas, verdadeiras utopias para o coração.
E há o terceiro grupo ou tipo de pessoas que, infelizmente, fazem parte da minoria: são os que fazem a diferença, os que não se iludem, têm os pés no chão, são centrados, sabem o que querem e têm a certeza de onde podem chegar.
Essas minorias não contam histórias e nem se emocionam ao ouvi-las. Pelo contrário, “são as histórias” que fazem parte do conto que inflama as emoções das pessoas que fazem parte dos primeiros grupos, criam suas próprias e deixam com que elas se promovam e se expandam.
Não somos iguais, a diferença entre um e outro está apenas na decisão de contar, ouvir e fazer a sua própria história.


PH SOUZA
terça-feira, 16 de outubro de 2012

O poder da imaginação



Não há limites, não tem barreiras, menos ainda existem fronteiras.
Podemos viajar aos quatro cantos da terra ir e vir; somos livres, não há impedimento, podemos ir aonde desejamos a qualquer hora e lugar.
Toda realização começa com sonhos e estes surgem de pensamentos; tudo que podemos realizar, todo objetivo, meta, alvo, surge de pensamento.
Algumas pessoas pequenas sempre pensam no pior, qualquer suposto erro em seus projetos pode se tornar em uma bola de neve, ou melhor, as pessoas os transformam em grandes bolas de neve, são pessoas que não conseguem pensar positivo, estão sempre dando audiência aos problemas.
São exemplos que podem até ser bobos mais são verdadeiros; uma simples gripe ela já transforma em uma virose quase que mortal; o telefone toca e antes mesmo de atender já começa a pensar no que de ruim pode ter acontecido e, muitos outros pensamentos como esses têm perturbado a vida de pessoas que só imaginam o pior.
Diante desses acontecimentos elas pensam e até dizem, eu sou azarada mesma, tudo de mal só acontece comigo, pra mim não tem jeito, meu problema parece ser eterno.
Creio que o poder e o direito de pensar sejam a maior dádiva do ser humano, mas como já disse, por outro lado, pode ser prejudicial em alguns casos.
Sabendo disso cabe, tão somente a você, usar o poder do pensamento para o bem ou deixar que ele, de uma forma negativa, destrua seus sonhos, seus objetivos e principalmente você.

PH SOUZA
domingo, 14 de outubro de 2012

O entusiasmo



As coisas nunca foram tão difíceis como nos dias de hoje e quando há o verdadeiro entusiasmo a pessoa supera qualquer obstáculo porque ela é forte, corajosa e valente. Nada de negativo prevalece diante dela, não existe inconveniente que frustre e vença seus bons pensamentos, não importa o lugar que vive, o tipo de pessoas que faz parte do seu dia-a-dia; o seu modo de ser prevalece.
Mesmo até porque há lugares ótimos de se estar ou de se trabalhar com pessoas positivas, otimistas, confiantes, sempre tornando esses ambientes propícios e favoráveis para, constantemente, estar com uma boa autoestima.
Já, por outro lado, há aqueles lugares que parecem ter um peso natural com pessoas mentirosas, enganadoras, pessoas que fazem de tudo para tentar parar o sucesso das outras, impedirem o crescimento e muito mais, têm, por tendência, influenciar todos que estão naquele meio de uma maneira negativa.
Subsistirá a força maior seja ela positiva ou negativa.
 Se estiver com uma boa autoestima sempre confiante, pensamento positivo, acreditando que pode reverter quadros, as pessoas terão sempre prazer em estar perto de você. E o principal é que está alegria a eufórico não faz bem só para quem está junto de você porque o primeiro beneficiado com isso é você mesmo.
Só quem é assim pode passar isso para os demais, só quem tem, se você é triste ainda que tente transmitir alegria as pessoas perceberão que não está sendo transparente, e só quem tem a força de acreditar pode passar isso adiante, ou melhor, só quem é “entusiasmante”.
Um simples exemplo está no texto intitulado como “que tipo de pessoa você é?” onde falo de dois casos que presenciei: um que não foi bom até por falta de maturidade e outro que é um verdadeiro exemplo a ser seguido.
Entusiasmo é acreditar que temos capacidade de mudar qualquer coisa, não importando o tamanho ou até mesmo a dimensão do problema, o entusiasmado vence todas as barreiras quaisquer obstáculos.
Todos têm o direito de acreditar que isso pode ser apenas um texto bonito que incentiva o pensamento positivo ou realmente trazer o conteúdo do mesmo para sua vida e passar a ter certeza de que tudo é possível.


PH SOUZA
sábado, 13 de outubro de 2012

Saudades



Quem me dera poder voltar ao tempo de criança, ou melhor, seria ótimo se o tempo parasse mais que continuássemos vivendo.
Aprender, amadurecer e mesmo adulto trazer junto à inocência que só os pequeninos têm.
De todas as lembranças que posso trazer da minha infância a que não esqueço é a pureza, a inocência de quando criança, amar a todos perdoar com uma facilidade sem igual, no mesmo instante que brigamos com amiginhos ou apanhávamos dos pais.
Na escola nem se fala o quanto já brigamos e brincamos, divertimos e descontraímos.
São lembranças valiosas que tenho da infância e, não tem preço, a forma com que conduzimos tudo de maneira natural; não tem curso de como viver uma bela infância, de como divertir e aproveitar o momento mágico que nunca mais voltará, apenas deixamos acontecer.
O único lamento é que não sabemos que aquilo acabará depois que crescemos e nos tornamos adultos não será mais da mesma forma.
Alguns poucos ainda trazem consigo a alegria da infância, mas na grande maioria os outros que não têm mais essa alegria, passam a trazer preocupações, tristezas e outros sentimentos que não fazem bem a ninguém.
Podemos escolher viver uma alegria eterna, ainda se quisermos podemos trazer para a vida adulta a pureza da infância ou deixar com que a malicia da maturidade frustre todo brilho que pode existir dentro de cada um de nós.


PH SOUZA
sexta-feira, 12 de outubro de 2012

Não tem preço



 A maioria dos pássaros constrói ninhos novos todos os anos.
Já a águia careca acasala para a vida toda e constrói apenas um ninho, o qual vai aprimorando ano após ano. Alguns ninhos pesam quase uma tonelada.
É claro que cada um tem seu próprio instinto, eles não pensam, não raciocinam, mas ainda assim, há aquelas aves ou animais que sobressaem de uma forma melhor.
Enquanto alguns pássaros, todos os anos param e recomeçam tudo de uma maneira nova, a águia careca simplesmente cresce seu ninho a cada ano. 
Não sei por que alguns pássaros fazem isso se é necessidade ou apenas instinto, mas é certo que quando se para e constrói novamente algo na grande maioria das vezes é um tempo que está sendo jogado fora e este nunca mais voltará.
Trazendo para nossas vidas, tempo é um dos bens mais preciosos que qualquer ser humano pode ter; para que vocês, entendam o que quero dizer com isso, o dinheiro não compra o tempo e, nem existe uma só pessoa que possa acrescentar um milésimo de segundo em seu tempo: temos o mesmo tempo, trezentos e sessenta e cinco dias, o ano em doze meses, quatro semanas de sete dias que contêm vinte e quatro horas e etc.
Isso não se pode comprar, não há dinheiro, riqueza ou fortuna que pague e, ainda se houvesse, não está à venda, todos temos isso de uma maneira igualmente justa.
Já, por outro lado, esse mesmo tempo sendo bem organizado, pode gerar conquistas e riquezas que buscamos ao logo da vida.
  

PH SOUZA
quinta-feira, 11 de outubro de 2012

Antes que o leite derrame



No contexto geral ou na vida, melhor dizendo, só aprendemos a dar valor a algo depois que perdemos.
Na grande maioria das vezes acontece quando o individuo não tem capacidade intelectual para obter tal coisa ou condição.
É como dar a uma criança sem instrução sobre a vida, um valor de mil reais e deixar que ele faça o que achar melhor, o resultado final não será bom.
Temos tantos exemplos: as crianças sempre querem o que não é bom para elas, querem ficar até tarde assistindo televisão, querem comer alimentos que não fazem bem à sua saúde, não fazem isso por maldade apenas não sabem de fato o que é melhor para elas.
E nós, adultos, não somos muito diferentes das crianças pois, às vezes, queremos coisas que não estamos preparados para ter.
Todos querem e só depois que temos e por não estarmos preparados, acabamos perdendo; É que passamos a dar valor ao que tínhamos, isso não se trata de ser boa ou má pessoa, é um instinto natural do ser humano. São pouquíssimas as pessoas que conseguem se contratar nesse sentido e, no geral, não damos valor às coisas que vêm fáceis ou as que têm em abundância.
Mas, depois que o leite derrama, ainda que tenha como voltá-lo para a vasilha, ele estará sujo e seu uso não será mais possível.
O ideal é buscar alternativas que irão lhe preparar para o que está por vir, só assim iremos reduzir o número de erros e passaremos a dar valor ao que temos antes que as percas surjam.

PH SOUZA
quarta-feira, 10 de outubro de 2012

Quem muito quer nada tem


Na verdade eu vejo frase como essa e outras semelhantes como pensamentos de pessoas pequenas, sem visão e expectativa de vida.

Todos nós estamos todo o tempo em busca de mais oportunidades que, por sua vez, não deixam de aparecer. Quem é prudente analisa com cautelas as que aparecem e, quem não é apenas se lança de cabeça em quaisquer que surgem em seu caminho, e isto não se trata de ser egoísta, querer demais ou tão somente tentar abraçar o mundo inteiro.
O fato é que sempre queremos mais. Eu penso que seja pobreza de espírito se contentar com pouco; quando com esforço e dignidade podemos alcançar sempre mais.
Esse é o propósito pelo qual estudamos, nos profissionalizamos e, ainda depois de profissionais estamos constantemente buscando aprimoramento. Por mais que saibamos temos a absoluta certeza de que, ainda assim, sempre será pouco.
Ainda mais no mundo que vivemos, a cada dia surgem coisas inovadoras, se não acompanharmos acabaremos ficando pelo caminho.
Só um exemplo: uma das profissões consideradas está entre as melhores do mundo, “a medicina” e seus profissionais não param de estudar, sempre procurando novas formas de cura, para os muitos tipos de doenças que estão sempre surgindo.
Existe até um dito popular que diz: quem muito quer nada tem; mas não gosto de ver a vida por esse ângulo.
É claro que tudo tem limites e temos que respeitar o de todos principalmente os nossos. Só não podemos permitir que pensamentos e argumentos como esse possa justificar a nossa falta de atitude e de força de vontade.

 PH SOUZA
segunda-feira, 8 de outubro de 2012

Glória do passado



 Tem muita gente que vive se gloriando de ter feito isso, ter realizado aquilo e etc.
Vivem como se o passado fosse acrescentar qualquer coisa no seu futuro.
Fazendo isso é certo que o presente deixa de ser vivido e, o amanhã, nunca chegará. Não gosto de pensar que tudo conquistado no passado deixa de ter valor: claro que não, seria tolice pensar assim, mesmo até porque as conquistas do passado naquele momento foram mérito, foram esforço, preparação, dedicação. Na grande maioria das vezes, foram incontestáveis.
Só penso que depois de uma vitória vem outro obstáculo, outro torneio ou luta; e a única vantagem que se traz da última vitória é a experiência e o gosto de saber o quanto é bom ganhar e isso também passará.
Mas chega um determinado tempo em que é preciso lutar novamente, esquecer por um instante a glória que ficou só na lembrança, levantar a cabeça e agir como se o passado não tivesse existido.
É como em um torneio: o campeão não ó será para sempre, ele tem que reconquistar cada ano, torneio ou temporada.
E se não conquistar hoje também ficará sem nada, pelo fato da vitória de ontem cair em esquecimento.
Sem deixar de falar no fato de que o troféu da última conquista nem sempre será propriedade dele, se não o conquistar novamente, terá que passá-lo para frente e sua glória de ontem será esquecida hoje.


PH SOUZA

Autoestima




Para saber como está sua autoestima algumas pessoas precisam de terceiros, outras procuram opiniões alheias para tentar melhorar seus modos de agir e se sentirem bem e outras, apenas contam consigo mesmas.
Não quer dizer nunca devemos precisar das pessoas, os amigos, colegas e familiares estão juntos de nós, a todo o momento, para nos dar força, nos motivar, nos encorajar mas, antes de tudo, temos que valorizar a força que há em nós.
Quando se fala em autoestima a questão é pessoal e, não importa se tem uma ou dez pessoas com ela, por mais que a pessoa que está passando por essa situação tenha todos em seu redor não se trata do que eles querem ou podem fazer por nós e sim, do estado de espírito que cada um se encontra.

E na falta de fatores como auto-confiança, segurança, equilíbrio e muitos outros, a pessoa sempre se encontrará perdida, sem saber o que fazer e para onde ir, fica perdida em seu mundo pequeno fora da realidade e sem conhecer seus limites.
Isso só vai mudar quando a mesma conseguir ver em si mesma, coisas como respeito, carinho, força, lealdade. A autoestima, na verdade, se trata da admiração que o individuo, ou melhor, que a pessoa em questão consegue ter por si mesma.


PH SOUZA
sábado, 6 de outubro de 2012

Controle a si mesmo



Uma força destruidora, um poder que torna o ser humano quase imortal, um ser temível por todos e especialmente por si mesmo.
Num dos melhores filmes de todos os tempos “os vingadores”, o que me chamou a atenção é o hulk, desde o começo não só no filme os vingadores. Desde a existência do primeiro filme ou desenho, o ser humano sempre lutou contra o monstro que existe dentro dele; ele nunca aceitou o fato de não ter domínio sobre si mesmo. No momento que o monstro verde aparece ou como diz Mark Ruffalo o ator que interpreta o personagem hulk ,o outro cara.
E sempre que o outro cara surgia lhe trazia transtorno, uma verdadeira máquina de destruição, sem pensar, sem medir as consequências de seus atos, simplesmente destruía tudo que via pela frente.
Até que em um momento ele conseguiu dominar o outro cara, tomando para si o controle da situação.
Trazendo isso para vida, tem muitos que não conseguem controlar a si mesmo, seus desejos, suas vontades, seus sentimentos.
Controle o que tem dentro de si e terá domínio sobre quem você realmente é.


PH SOUZA
sexta-feira, 5 de outubro de 2012

Que tipo de pessoa você é?



Lembro-me que há alguns anos atrás um amigo começou a trabalhar em uma grande empresa; seu primeiro emprego um bom cargo, excelente salário; depois de poucos meses ele foi demitido, falaram apenas que não precisariam mais de seus serviços. Ele, bastante chateado, foi se encontrar com a namorada e conversar sobre isso. Ela apenas lhe disse: “isso acontece, fazer o quê”?
Em outra oportunidade, conheci também um palestrante, fazia palestras motivacionais.
Em um dia normal de trabalho começou a sentir uma dor de garganta, ele me contou que já havia sentido dor antes mas não como aquela. E, para não encerrar sua palestra sem estar devidamente concluída, continuou forçando a garganta mesmo assim.
Quando terminou foi embora e não disse nada a ninguém, pensou que poderia ser algo passageiro mas, dias passaram e a dor não parava e, então, foi procurar um especialista.
Depois de vários exames descobriu que era um problema sério, que este poderia até lhe afastar de seu trabalho. Era preciso fazer uma cirurgia e, só após o médico o examinar, saberia como iria ficar seu caso, lhe adiantando que uma de suas cordas vocais estava seriamente comprometida.
Então ele foi para seu escritório sentir pena de si mesmo, palavras dele.
Ao chegar à sua casa, entregue às circunstâncias e com semblante caído, sua esposa perguntou o que havia acontecido e disse que ele estava irreconhecível, depois que lhe contou tudo sobre o problema, a cirurgia.
Ele disse que ela lhe olhou fixo dentro dos olhos como não fazia há muito tempo e disse: “você é um mentiroso, incentiva as pessoas mas quando o problema é com você se entrega sem lutar?”.
No dia da cirurgia eles levantaram cedo e foram ao consultório certos de que venceriam juntos apenas mais um detalhe de suas vida.
Antes da operação foi feito um exame de rotina e, para surpresa deles, este não acusou nada, estava tudo certo com ele, foi feito um segundo exame e nada.
Esses dois fatos são reais.
A questão é que tipo de pessoa que tem sido? como a namorada do primeiro ou a esposa do segundo?

PH SOUZA

Seguidores

No Facebook

Traduzir Blog

Arquivo do Blog

Compare preços